segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Brasil : da Regência ao Segundo Reinado - O Segundo Reinado

Detendo o “carro da revolução”

Com o golpe da maioridade, as classes dominantes procuravam deter o “carro da revolução”. Por essa razão, as medidas regressistas do período final da Regência avançaram depois de 1840. O objetivo era fortalecer novamente o poder central, retirando as poucas liberdades concebidas às províncias.

Liberais e conservadores no poder

            Apenas grandes proprietários de terras, comerciantes, altos funcionários do governo e as camadas médias do campo e das cidades tinham a renda exigida pela Constituição e podiam exercer a cidadania. Esses setores atuavam em dois grandes partidos: o Liberal e o Conservador, fundados no final da Regência.

A Guerra do Paraguai

            Em novembro de 1864, o Paraguai, aliado do governo uruguaio, apreendeu o navio brasileiro Marquês de Olinda. No mês seguinte, Solano López, presidente paraguaio, ordenou a invasão de Mato Grosso. Em seguida pediu permissão ao governo argentino para atravessar o território e entrar no Uruguai. Diante da recusa, o governo paraguaio declarou guerra à Argentina.

Conseqüência do conflito

            Para o Paraguai, o conflito foi uma catástrofe. Antes da guerra, o país passava por um processo de modernização. Quando o conflito acabou, Paraguai teve boa parte de suas terras anexadas pelos vencedores, além de arcar com uma pesada divida de guerra. Sua população foi reduzida a um quinto e ficou com uma maioria de mulheres, idosos, inválidos e crianças.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário